DoubleSpeak

A hipocrisia do Bloco de Esquerda continua, como o demonstra desta vez o artigo de Francisco Louça no Esquerda.net. O Bloco devia mudar a sua política para com os movimentos sociais (onde opera como um ‘Guardião do Portão’, boicotando os movimentos sociais que não controla) antes de vir falar da necessidade de ‘um enorme movimento de massas’, e devia parar de defender a renegociação e começar a defender a anulação da dívida antes de implicitamente afirmar que está ‘disposto a combater a chantagem da dívida’. É deste tipo de posições que fazem com que o Bloco de Esquerda não possa ser considerado como uma força de verdadeira oposição, e tendo em conta a flexibilidade ideológica e política do Bloco (leia-se, a falta de integridade que tem demonstrado) é natural a maior aproximação com o Partido ‘Socialista’, inclusivamente defendida por pessoas como o Daniel Oliveira, o que demonstra uma mudança de posição radical (no pior dos sentidos) em comparação com o ano de 2009, ano em que o Bloco dizia que estava ‘completamente fora de causa’ uma tal aproximação. Entretanto no PS, não ocorreu nenhuma mudança substancial a não ser a mudança de figurão, inserindo o insípido e inconsequente Seguro no lugar do exilado Socrates (que está exilado em Paris a viver com os milhões que desviou dos fundos públicos). O PS continua a ser um partido de chefes de empresa, de maçons, de corruptos, dos interesses económicos, das privatizações, das promessas eleitorais não cumpridas. Continua a ser um partido da elite económica para a elite económica. E o Bloco cada vez mais segue o mesmo caminho.

João Silva Jordão