É sabido que o “modus operandi” político dos Estados Unidos da América sempre teve o esteio da ideologia clássica do “Destino Manifesto”, ou seja, os EUA teriam recebido de Deus a missão de liderar o mundo livre conforme os preceitos bíblicos.

Todavia a intenção deste artigo não é nem de longe abordar aspectos religiosos, mas, a partir desta lembrança da arrogância histórica dos yankees, abordar fatos recentes (outros nem tanto) constatando os possíveis reflexos de um colapso anunciado.

Comecemos pelo famigerado embargo a Cuba, que em 50 anos já onerou nossos vizinhos caribenhos em mais de um trilhão de dólares, conforme afirmou o vice-ministro de comércio exterior Orlando Guillén em fevereiro de 2012 ao site Opera Mundi.

Justificando a ausência de democracia na ilha, segundo dados da ONU, os EUA mantêm o embargo, mesmo sendo contrariados mais de 20 vezes por resoluções da ONU de 1992 para cá. Mas esta justificativa não se aplica para eles, tendo em vista os apoios dos EUA aos regimes ditatoriais militares pela nossa America Latina, pratica recorrente em nossa recente história, o filme “O dia que durou 21 anos” (em cartaz) faz um excelente retrato destas praticas em terras tupiniquins.

Antes de prosseguir, é irresistível a menção do fato de que a filha de David Rockefeller estudou medicina em Cuba e a curiosa discrição com que este tema é tratado.

Após esta breve contextualização acerca da arrogância, princípios, valores e conveniências, voltemos ao colapso anunciado.

No dia 23/11/2012 um milhão e meio de funcionários da rede Walmart entraram em greve pela primeira vez na história de 50 anos da rede, apesar da pouca importância que a grande e velha mídia deu ao caso, a crise trabalhista está cada vez mais tensa nas terras do tio Sam.

Não obstante, o atual distanciamento dos Partidos Democrata e Republicano tomou proporções que resultam numa débil paralisia dos trabalhos do congresso nacional.

E a tendência é piorar, a força dominante do Partido Republicano, o “Tea Party”, inclinou-se definitivamente aos velhos conceitos da extrema direita cristã, rechaçando quaisquer ações de cunho social direcionadas aos pobres e desempregados ou às políticas de cunho homo afetivo, à violência sexual e ao aborto consentido.

Fica cada vez mais explicito que Obama é uma fraude e não é mais possível esconder este fato. Suas ações daqui em diante serão subordinadas aos interesses do capital e seu repetitivo discurso humanista caiu por terra, atualmente podemos encontrar ótimas fontes de matérias abordando e aprofundando a questão, no caso deste artigo, por exemplo, os sites, Pragmatismo Político e Viomundo, em matérias da mídia impressa, a Carta Capital e a Carta maior.

Mas nem tudo esta perdido! Há um expressivo número de entusiastas do “American Dream”, que de seus verdes gramados ensaiam sinais de entusiasmo dizendo:

– Nossa economia esta melhorando! Somos incríveis, o xisto é a solução.

Pois sim, a vedete do momento é a rocha xisto, mais de 90% do território americano tem consideráveis reservas de xisto. Alguns estudos apontam que o montante é comparável às reservas Árabes.

Mas como extrair gás e petróleo desta rocha?

Para eles tecnologia nunca foi o problema e com técnicas novíssimas o processo vai a todo vapor, envenenando nascentes, rios, lagos e seus próprios lençóis freáticos.

Mitigar este catastrófico impacto ambiental é assunto desconhecido e sem importância, mesmo após diversas constatações de mutações em peixes e outros animais além de doenças de pele e câncer em vários seres humanos na Pensilvânia como pode ser visto no filme “Terra Prometida” e no documentário Gasland de 2010. Mas recentemente as conclusões de Philip Verleger, especialista do Peterson Institute for International Economics, de Washington, fomentam e qualificam tecnicamente a catastrófica questão.

O livro “Colapso” do Jered Diamond corrobora para dentre outros fatos, indicar que os EUA vão dar cabo à façanha de contaminar toda sua água através da ganância da exploração deste minério. Mas não há problemas, quando a necessidade pela água for gritante os EUA irão encontrar modos de obter o liquido precioso de quem tenha.

E não é de hoje que eles olham para o Brasil e para nossas reservas, dias difíceis virão e isso não tem nada de profético, são meras constatações.

Em janeiro deste ano a Universidade paulista Anhembi Morumbi foi comprada pelos gringos da Laureate Education.

Em julho de 2012 eles também adquiriram através da Baltimore, toda a rede de ensino superior privado do Recife.

O capital yankee esta tomando nosso ensino privado, mas isso é pano pra outras mangas…

Enquanto isso, outras bombas vão estourando.

Sandro Paulino de Faria